***

***


Lugares, eventos, pessoas, recantos e detalhes de São Paulo
sob a ótica de uma fotógrafa apaixonada pelas múltiplas faces de sua cidade.

*

O conteúdo total deste blog (fotos e textos) está protegido sob licença Creative Commons.
Se quiser compartilhar, por favor cite a fonte para que mais pessoas possam visitar.

12/07/2015

Saraus & Comunidades Culturais: QUILOMBAQUE, de Perus




Começo esta matéria com a definição presente no próprio blog da comunidade: "A Comunidade Cultural Quilombaque é uma organização sem fins lucrativos que surgiu em 2005, a partir da iniciativa de um grupo de jovens, moradores de Perus, bairro periférico situado na zona noroeste de São Paulo e que concentra os piores índices socioeconômicos e culturais, onde as maiores vítimas são os jovens. Conheça, participe e agregue ideias. As portas estão sempre abertas."

A maior dificuldade neste post foi exatamente em quais atividades e quais imagens focar prioritariamente para que fosse apresentado um panorama enxuto porém razoavelmente abrangente sobre essa incrível comunidade que é uma verdadeira aula de resistência cultural na periferia de São Paulo.

Conheci o Quilombaque em meados de 2010 e tenho em meu arquivo centenas de registros das muitas vezes que estive lá, dentre as quais se incluem a mostra fotográfica de tres trabalhos autorais meus, e os lançamentos de duas edições da Revista Rebosteio, da qual fiz parte como co-editora.

Atualmente o Quilombaque passa por uma grande reforma em suas instalações, nos moldes Permaculturais e com aproveitamento de materiais reciclados e estruturas de adobe, como poderão conferir visitando sua página no Facebook... porém as fotos aqui apresentadas são parte de um acervo de eventos e atividades fotografadas anteriormente a essa reforma. Em breve o SP-seety pretende voltar lá e registrar todas as novidades.

A agenda permanente nas sextas feiras a partir das 20:00 horas fica por conta do Sarau D'Quilo, mas durante todos os finais de semana acontecem apresentações de bandas locais ou convidadas, teatro, circenses, oficinas de todos os tipos (de permacultura a preparação de projetos culturais), debates, mostras de filmes,  rodas de batuque, festivais de graffiti, etc... 

Como eu disse, o difícil mesmo é encontrar o que eles não fazem!!

Para chegar lá com transporte coletivo, você deve pegar o trem da CPTM linha Rubi-7, que sai da Estação da Luz em direção a Francisco Morato, e descer em Perus. O Quilombaque é vizinho da estação de trem, portanto muito fácil de encontrar.

Blog do Quilombaque: 
http://comunidadequilombaque.blogspot.com.br/

Quilombaque no Facebook:
https://www.facebook.com/quilombaque?fref=ts

Esta é a primeira de uma série de postagens sobre os Saraus e Comunidades Culturais em Sampa, tanto da periferia quanto do centro, que o SP-seety vai trazer intercalando com outras postagens... então, continue nos acompanhando!

Confira uma pequena mostra das atividades do QUILOMBAQUE e sua gente bonita:


o Bar do Quilombaque, onde você pode tomar uma cervejinha e comer salgadinhos e bolos caseiros enquanto curte as atividades


durante o Sarau D'Quilo, a criançada também começa a ter intimidade com os livros


o som rolando durante o Sarau D'Quilo... no cajón está José Soró, grande mentor da comunidade, e tocando a caixa está o principal coordenador das atividades,  Dedê.


um grande acervo de livros na biblioteca comunitária fica disponível a qualquer visitante


jogo de xadrez


regando a horta permacultural


moçada chegando para as oficinas e shows


turma da oficina de quadrinhos em plena atividade


alguns visitantes da mostra de fotografia 


debates e apresentações durante a mostra de fotografia


teatro e performances


oficina de maquiagem


o sorriso e a resistência cultural da periferia


venda de bonecas negras


no telão em meio às bananeiras da horta, projeção do filme Ashes & Snow, de Gregory Colbert


artistas convidados durante a Noite Jamaicana, repassando o som na mesa do DJ


show na Noite Jamaicana


galera dançando reggae durante a Noite Jamaicana


Dedê filmando as performances do graffiti durante o Festival Internacional Essência.


















" O coletivo Essência é uma iniciativa de artistas independentes que exploram a importância da arte como instrumento de ganho comunitário e social, criando intercâmbios entre artistas de diferentes países. O grupo reúne o conhecimento de diferentes culturas como Brasil, Chile, Argentina, República Dominicana e Canadá, mas sempre abertos à integração de outros povos em seu meio.
Tem raízes na arte urbana, que compreende muralismos, graffiti e design gráfico. O grupo esteve presente na América, Europa, África e Oriente Médio, com oficinas comunitárias cuja experiência demonstra aos jovens que a arte pode romper fronteiras, preconceitos, ser uma forma de expressão, de geração de renda e conhecimento cultural, integrando-se e mantendo a própria essência."

Festival Internacional Essência: graffiti nos muros externos do Quilombaque


começando o graffiti no Festival Internacional Essência


diferentes estilos no Festival Internacional Essência


participação de Bonga Mac no Festival Internacional Essência


nem o temporal passageiro diminuiu o pique da galera do graffiti durante o Festival Essência


em cima dos pallets depois do temporal e dando continuidade aos graffitis


Kemp Ndao, artista convidado do Senegal para o Festival Essência


participação de Vespa Crew no Festival Essência


Shalak: presença feminina internacional no graffiti do Festival Essência


celebrando o hip-hop: dançando break durante o Festival Essência


celebrando o hip-hop: dançando break durante o Festival Essência




***********************************

2 comentários:

  1. oh Mercedes... que bom ser você uma pessoa que insiste em mostrar o que, comumente, seria "invisível".
    Ao revelar suas escolhas como fotógrafa, revela a pessoa que é - valente, coerente, talentosa.
    um abraço da Denise

    ResponderExcluir
  2. Denise,
    obrigada pelo carinho e incentivo!
    enorme abraço ;)

    ResponderExcluir